Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Inaugurado novo espaço que promove educação para combater êxodo rural

Publicação:

Associação promove palestras técnica sobre sustentabilidade, cooperativismo e vida no campo
Associação promove palestras técnica sobre sustentabilidade, cooperativismo e vida no campo - Foto: Dyessica Abadi/Palácio Piratini

É no ponto mais longínquo do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, longe dos animais e da grande circulação do público, que está um dos serviços mais importantes da 41ª Expointer. Na Associação Gaúcha de Professores Técnicos de Ensino Agrícola (Agptea), localizada na quadra 30, entre o Setor das Máquinas Agrícolas e ao lado do Pavilhão da Agricultura Familiar, há profissionais dedicados em manter presente o espírito do meio rural no século 21. A entidade inaugurou, nesta quarta-feira (29), um novo espaço para estimular a educação profissional, com palestras técnicas sobre sustentabilidade, cooperativismo e vida no campo.

A Sala Professor Calvete, nomeada em homenagem ao professor Luiz Osvaldo Corrêa Calvete, que fundou a associação em 1969, traz à Expointer mais uma vez a visão de futuro sobre a educação rural. Nela, professores técnicos rurais prestam assistência para que os jovens busquem mais qualificação e não saiam do do campo, estimulando a geração de emprego e renda em agroindústrias e cooperativas.

"Foram muitos anos de luta para termos nosso espaço na feira até que, há 10 anos, conseguimos construir esta casa, num local onde funcionava um galpão de gado e centro de inseminação. Com investimentos dos nossos associados, transformamos o espaço em salas de estudo, de interação e aprendizado entre alunos e professores", informou o atual presidente da Agptea, Fritz Roloff.

No local, serão oferecidos dois cursos: um sobre a cultura da pitaya (fruta exótica da família dos cactos rica e rica em fibras) e outro sobre a noz pecã, semente muito cultivada no estado gaúcho. A associação promove ainda, fora da temporada da feira, eventos organizados com especialistas em áreas como ordenha e agroindústrias.

Professores prestam assistência para buscar qualificação e não sairem do campo
Professores prestam assistência para buscar qualificação e não sairem do campo - Foto: Dyessica Abadi/Palácio Piratini

Formação técnica rural

Atualmente, são mais de três mil alunos atendidos por ano por cerca de 400 professores formados pela associação nos últimos 10 anos. Os municípios com maior destaque no treinamento são Carazinho, Bom Progresso, São Gonzaga, São Leopoldo e Caçapava do Sul. Entre as escolas estaduais parceiras ao formar técnicos, estão 26 instituições além de escolas de famílias agrícolas privadas (conhecidas como EFAs). O trabalho inclui a participação de escolas municipais, associações de comunidades rurais e a cooperação com escolas agrotécnicas federais e de universidades.

A necessidade de criar uma conexão entre a educação rural nas escolas do interior e o apoio de políticas estaduais é uma das principais discussões da entidade. "Nossos objetivos centrais eram pleitear com o governo estadual a criação de um órgão específico para fomentar a formação de técnicos qualificados, e, a partir disso, a criação de cursos e a requalificação daqueles profissionais existentes", explicou o ex-presidente e associado Heitor Tomé da Rosa.

Sala Professor Calvete foi inaugurada como mantra para buscar maior apoio à educação técnica rural
Sala Professor Calvete foi inaugurada como mantra para buscar maior apoio à educação técnica rural - Foto: Dyessica Abadi/Palácio Piratini

A Sala Professor Calvete foi inaugurada como mantra para a busca de maior apoio à educação técnica rural. "Com o decorrer do tempo, as técnicas foram retiradas dos currículos escolares e as faculdades não criaram um curso permanente a exemplo da federal do Rio de Janeiro, que oferece o curso de Ciências Agrícolas", reiterou Rosa. "O agro é fundamental para o Rio Grande do Sul, mas também nos preocupamos com a produção de alimentos saudáveis e com a técnica, que deve ser passada adiante. Vemos cada vez menos jovens no interior e poucas escolas com programas para engajar essa geração a se manter no campo", conclui o presidente Roloff.

A sede da associação fica no bairro Menino Deus, em Porto Alegre. Mais informações podem ser conferidas na internet ou pelo telefone (51) 3225-5748.

Texto: Letícia Bonato
Edição: Gonçalo Valduga/Secom

Expointer 2018